O lado negro

São 15.30 da tarde e lá fora já é practicamente de noite. Por esta altura do ano, aqui no Norte, já o dia nasce depois das 09 da manhã. O sol (quando o vemos) está sempre baixo, e a luz nunca chega a todos os recantos, especialmente na cidade. Tenho uma varanda em casa, que nesta altura nunca chega a apanhar luz.

Quando isto começa, todos os anos, noto uma grande diferença. Em mim e nos outros. As pessoas começam a andar na rua apenas pelo tempo que é absolutamente necessário, porque o frio também se faz sentir, e as ruas ficam mais vazias e tristes. Falta mais energia e alegria, porque isso vem com o sol e a luz. Queremos neve, porque a neve traz outro tipo de luz, mas enquanto ela não vem estamos (quase) constantemente no escuro e frio da noite. Especialmente depois do Natal, quando as iluminações são retiradas.

É por este motivo que tantos estrangeiros desistem, fazem as malas e voltam para os seus países. É um facto, a adaptação à vida do Norte não é fácil. Diria até que é difícil. Os que ficam começam a sonhar com férias, porque é necessário quebrar este Inverno.

Nunca fui uma pessoa de praia (entenda-se, ficar estiraçada ao sol e por aí), sempre preferi o Inverno, mas desde há uns dois anos para cá isso mudou drasticamente. Quero praia e quero sol. Preciso disso, e preciso de viajar para o encontrar. Foi assim que comecei a passear tanto, nasceu desta necessidade, é preciso saír daqui e respirar outros ares de vez em quando.

Os noruegueses têm os desportos de Inverno e as suas cabanas na floresta, as decorações de Natal, o álcool, … Refugiam-se em pormenores como esses para escapar, ou simplesmente passam o Inverno noutro país mais quente e luminoso (os que pod€m). Eu… Eu estou a ver pacotes de viagem para as Caraíbas e a sofrer um bocado (mais) com saudades de Portugal!

Não sou muito de saudades, ou pelo menos não tenho aquele desejo de “voltar”, mas em dias como este fazem falta as cores do Oeste. Faz falta o calor da família.

Em dias como este há que rever objectivos e pensar “porque me estou a submeter a isto”? E no meio desses pensamentos, passei por aqui e escrevi este artigo.

Também é importante enfrentar a escuridão, vestir o casaco e calçar as botas, saír à rua e apreciar as luzes de Natal. Não nos deixar abater por isto, e não ter medo do frio.

Temos que ver mais do que o lado negro! E é isso mesmo que vou fazer a seguir.

9 thoughts on “O lado negro

Add yours

  1. Bom dia Maria,
    Por cá já há muita luz, não de sol, mas uma luz cinzenta, de chuva, que todavia nos cai bem por muito desejada. Gosto de aproveitar o início do dia para por leituras em dia. Ontem tinha lido o seu post e hoje deparo-me com este na Visão.
    http://visao.sapo.pt/nos-la-fora/2017-12-08-A-luz-a-luz-faca-se-luz
    Talvez até já tenha visto mas achei engraçado – ainda que não aprecie muito a escrita do autor, gosto bem mais do seu, em jeito de desabafo 😉 .
    Mas no fundo retratam os mesmos sentimentos e as dificuldades de viver ao Norte. Especialmente para quem vai do Sul. Sempre me questionei o que se faria no norte de inverno. Com o que ocupariam o tempo, já que sabemos as horas de trabalho mais curtas que as nossas (defendem muitos que menos, mas mais produtivas, será?).
    Depois de ler seu post fiquei a pensar naqueles agricultores que vi trabalharem os campos, em lugares quase remotos, até quase à meia noite. O que farão agora nesses campos que devem ser um imenso manto branco???

    Um beijinho

    Liked by 1 person

    1. Bom dia Antónia,
      Não tinha visto esse texto, mas não me admiro que por esta altura muitos sintam necessidade de escrever sobre o tema… Só por ter dito que prefere o meu até fiquei de peito cheio! 🙂 hehe
      Em relação às suas dúvidas não posso ajudar muito, por agora, mas tentarei reunir informação sobre isso. Os meus horários não são tradicionais, e até acabam por ser mais longos do que os que tinha em Portugal. Mas aqui sem dúvida que temos muito mais tempo livre, que acaba por ser maioritariamente passado em casa, no Inverno.
      Quanto aos campos também me interrogo, quando nas minhas viagens de comboio observo as paisagens geladas. Mesmo sem neve estão geladas. E os edifícios de madeira solitários no meio desses campos, sempre uma visão curiosa…
      Realmente se há coisa que o norueguês do campo será “expert” é em viver isolado, parece-me. Agora o que faz para passar o tempo, não sei…
      Um bom fim-de-semana!

      Liked by 1 person

  2. Engraçado… foi este o sentimento que tive quando estive de férias em Budapeste/Viena o ano passado.
    Muito curioso perceber que os cidadãos retornavam a suas casa muito cedo porque estava noite – às 17 horas estava completamente escuro – e eu que andava a passear também acabei por recolher cedo…
    Pensava o que raio fariam nas restantes horas do dia. A bom ver, e nessa altura em que fui, enchiam os mercados de Natal a aproveitar o convívio entre amigos, mas e quando os mercados acabam??!! O que farão eles ???
    Nós em Portugal somos uns privilegiados e não damos valor ao que temos de bom… não vejo a malta ir “picnicar” à hora de almoço como fazem os franceses, ou “lagartar” a ler um livro no parque como fazem os alemães… e somos nós os melancólicos e os fadistas…

    Aproveita cada raio de luz. Enche a alma com cada raio de sol. E de vez em quando recarrega baterias durante os teus passeios/viagens.
    Esta época é mais potenciadora à saudade …e fica sempre um buraquinho no coração quando estamos longe. É assim… mas vai havendo mensagens que preenchem um bocadinho esse buraquinho.
    Por isso, desde já te desejo muita luz e muita alegria para esta época que se avizinha 🙂 kisses

    Liked by 1 person

    1. Susy foi tudo tão bem dito que eu nem posso acrescentar mais nada… É bom ver que ainda há quem viva em Portugal e tenha noção disto. Partilho da mesma visão que tu, e às vezes questiono-me como é que as pessoas se queixam tanto do tempo, por exemplo!

      Quanto ao que fazemos aqui, durante estes meses, eu ainda nem sei bem. Por agora aproveita-se a azáfama do Natal, depois é tentar ir de férias numa altura estratégica. Senão é realmente deprimente, porque isto afecta a mente e mesmo o corpo, sentimo-nos mais cansados e “baralhados”. O corpo reage imenso à falta de luz. E é importante tomar vitaminas, especialmente a D… Como de certeza tu já sabes. 🙂

      Obrigada pelo carinho virtual! beijinhos querida

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Um Site da Web WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: