Norueguices

O lado quente da Noruega

Enquanto estou sentada num aconchegante café em Røros, uma pequena aldeia na Noruega, olho em volta e vejo este país por outros olhos. O facto de viver na capital influenciou o que acho que sei sobre o povo norueguês; reflicto sobre isso enquanto saboreio um bolo de maçã e bebo o meu capuccino. Oslo é inevitavelmente mais snob e impessoal, o que aliado à natureza pouco calorosa dos nórdicos (em comparação connosco portugueses) pode resultar numa impressão menos positiva.

Hoje sinto-me culpada e preocupada, será que tenho andado a fazer isto mal? Estava, por exemplo, convencida de que as pessoas na Noruega não se cumprimentavam na rua. Pouco interagiam com desconhecidos, excepto em situações mais específicas, e mesmo assim de forma breve e passageira. Não é que desde que aqui estou toda a gente me diz olá, sorri e demonstram uma simpatia impecável?

oladoquentedaNoruega_lugarajanela-2
Transporte típico em Røros

Também pensava que não havia conversa de ocasião, ou trocas de impressões com estranhos. Não o há como em Portugal, mas ao longo destes dias tenho conversado com todas as pessoas que me atenderam nos diversos locais que visitei (gosto de practicar o norueguês) e fiquei sempre agradavelmente surpreendida. Eles não estão, claramente, habituados a isso – mas acabam por achar graça e lá vão retribuindo o meu interesse em conhecê-los, querendo saber quem eu sou e de onde venho. Na verdade, as pessoas aqui em Røros têm sido do mais amável que já conheci! Curiosos pelos estrangeiros mas demonstrando-o de uma forma diferente do que um português o faria, prestáveis de maneira mais subtil mas não menos humana.

Claro que tudo isto estará associado ao facto de Røros ser mais pequena e turística, mas não me parece que seja só isso. Já levo alguma experiência de viver no estrangeiro, e estou neste momento a observar o que me rodeia. Aqui no café a rapariga por detrás do balcão mete conversa com os seus clientes, uma criança conta alegremente a quem a quiser ouvir que esteve a fazer ski, alguém passa e se despede dos outros porque vai regressar ao trabalho, … Há ruído à minha volta, aconchego, uma atmosfera alegre e envolvente! Somos os únicos turistas aqui e na mesa ao fundo está sentada a recepcionista que nos fez o check-in no hotel, já trocámos sorrisos e um olá. Continua a não ser um ambiente comparável a um café português (só vendo para compreenderem), mas é um grande avanço face ao que eu conhecia de antes, e todos eles são noruegueses.

oladoquentedaNoruega_lugarajanela-3
Típica casa norueguesa, em madeira
oladoquentedaNoruega_lugarajanela
Debaixo de um nevão

Røros é um meio pequeno, Oslo uma capital europeia. Quem vive em Røros fá-lo-á por gosto e amor à terra (imagino eu), e em Oslo as pessoas estão mais por trabalho e dinheiro (diz-me a experiência). Independentemente do tamanho destes dois locais, e das suas diferentes características, não deixo de me sentir fascinada pelo quanto as pessoas são diferentes na sua maneira de ser e estar. E em como, ao visitar ambos, nos apercebemos de dois lados da Noruega… Concluo portanto que ainda tenho muitas experiências para recolher, muitos locais para visitar e pessoas por conhecer até poder ter uma ideia daquilo que os noruegueses realmente são (e não são). E mal posso esperar, pois cada vez mais me apaixono por este país!

Assim aprendo a não generalizar, apesar de o ter estado a fazer ao longo de todo o artigo. 😀 Resumindo e concluindo, dá para entender o quanto gostei deste passeio não é? De todos os locais que já conheci neste país – o qual planeio conhecer de ponta a ponta – este conquistou-me um cantinho especial no coração. Recomendo muito (muito!) esta visita, e numa próxima partilha vou dar-vos dicas práticas para a realizar e falar do hotel onde ficámos.

Ha det bra! 

10 opiniões sobre “O lado quente da Noruega”

  1. Olá, que interessante esse post! Hoje mesmo acabei de assistir a um vídeo de uma booktuber norueguesa e ela falou sobre essa questão de eles serem MUITO reservados e não conversarem com desconhecidos em situações cotidianas, e que ela acha isso esquisito. Achei bem estranho, mas continuo me interessando cada vez mais pela cultura deles.

    Um abraço o/

    Liked by 1 person

  2. Sem dúvida, eles não sentem necessidade de fazer conversa com uma pessoa, podem estar simplesmente em silêncio numa situação que para nós seria estranho. Para mim é muito engraçado viver aqui e observar isso e conhecer as pessoas.
    Já agora… que booktuber é essa? Gosto muito de ler e gostaria de espreitar, ainda para mais sendo norueguesa.
    Obrigada pelo comentário 🙂

    Gostar

  3. Engraçado porque, antes de visitar Oslo, ia com a ideia de que os locais deviam ser mt frios e ensimesmados, mas, mal cheguei à cidade, dois jovens aperceberam-se que eu estava com duvidas sobre que rua tomar e aproximaram-se e perguntaram se precisava de ajuda 🙂 é verdade que nos em Portugal somos mt faladores e abertos, mas talvez os noruegueses sejam mais praticos lol ou entao tive sorte 🙂 abraço PedroL

    Liked by 1 person

  4. São sem dúvida mais práticos, mas também houve aí alguma sorte à mistura, quer-me parecer. Claro que cada caso é um caso…
    E já agora, o que achaste de Oslo? 🙂
    Obrigada pelo comentário!

    Gostar

  5. Olá, gostei do texto sobre as impressões de uma lusa em terras norueguesas.
    Nós estamos a pensar em ir de férias à Noruega no verão e tenho andado a navegar na net à procura de informações. Foi assim que aqui cheguei e também chego agora ao cerne da minha questão, pois gostava muito de saber, da parte de quem aí vive, o que é imperdível numa viagem à Noruega. Quando leio que é imperdível ver os fiordes, como eles são tantos e ao longo de todo o país, acabo por me sentir perdida. Agradeço a ajuda que for possível.

    Liked by 1 person

  6. Olá e bem-vinda ao Lugar à Janela! Obrigada, desde já, pelo comentário e por me colocar esta interessante questão.

    Eu visitei os fiordes na zona de Bergen, mais precisamente Gudvangen, fazendo viagem de autocarro e depois barco até Flåm. Fiz também a linha de comboio de Flåm, que é bastante famosa, e qualquer uma destas experiências aconselho porque mostram bem a essência e beleza natural e cultural deste país. Diria que o que mais recomendo por aqui é deambular pelos locais e apreciar a beleza óbvia, mas também o que está por trás, porque os escandinavos são bem diferentes de nós em várias atitudes e isso traz outra dimensão à viagem.

    O local que mais gostei de conhecer, até agora, foi Ålesund. Perto de Ålesund tem o fjord Geiranger, um dos mais famosos e bonitos. Por aí também acede facilmente à Estrada do Atlântico, famosa nos postais da Noruega.

    Se tiver oportunidade considere as Lofoten, para uma Roadtrip, já que virá no verão. Aí encontrará muita beleza natural e a Noruega e o seu povo no estado mais puro.

    Espero ter ajudado, não hesite em perguntar mais coisas. Boa viagem!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s