Pensamentos Aleatórios

Não é só mel

Hoje o meu pai faz anos e comecei o dia a comer torradas com Mel do Avô Zé, o menino dos olhos dele, produzido pelas suas amigas abelhas. Não está de momento à venda, mas não posso deixar de o gabar! Sabe a Oeste, é 100% natural e vai mudando consoante o que as abelhas encontram e conseguem produzir. O meu favorito é o cristalizado, e sou uma sortuda porque ele o guarda para mim (ultimamente não tem saído muito desse).

nãoésómel-1

Lá em casa sempre consumimos “mel caseiro”, mesmo antes do Avô Zé ter abelhas de estimação; a primeira e única vez que comprei mel no supermercado foi aqui em Oslo (ia sendo deserdada e recebi logo uma encomenda no correio com o Mel do Avô Zé). A verdade é que o que comprei, ainda que caríssimo e com um aspecto chique, me sabe só a açúcar. O rótulo refere apenas que é mel de acácia – o que indica que não terá muitas nuances no seu sabor – e que a origem são “vários países fora da UE”. Por outras palavras, um mel de origem duvidosa…

Hoje reencontrei essa embalagem na despensa (ainda dura…) e resolvi pesquisar sobre a indústria do mel. Já sabia que as abelhas estão em risco, e também sei o suficiente sobre economia e capitalismo para perceber que a produção em massa destrói a autenticidade de qualquer produto (e a natureza…), mas apeteceu-me aprender um pouco mais sobre este assunto em específico. Talvez contagiada pela paixão do meu pai e pelo aniversário dele…

Claro que confirmei as suspeitas de que essa indústria não joga limpo, e que provavelmente o que comprei é mesmo só açúcar. Decidi então vir apelar a quem pode para suportar os apicultores e as abelhas locais! Pessoas como o meu pai, que tratam bem as abelhas, que têm paixão pelo que fazem e respeitam a natureza. Se não por eles, por vocês mesmos! Conheço quem me garantisse que não gostava de mel, e cuja opinião mudou drasticamente depois de provar o nosso. A diferença é enorme, acreditem! Especialmente se consumirem mel da zona onde vivem, porque o sabor vos recordará dela, das suas cores e aromas. No mínimo tenham mais atenção àquele que compram, leiam nos rótulos de onde vem, até por questões de saúde.

E como só há mel se houverem abelhas (embora nem todas as espécies existentes sejam produtoras de mel), quero alertar para a crise que elas atravessam e o impacto que isso terá para nós. As abelhas estão a morrer e sem elas não há polinização; sem polinização as plantas deixam de existir e consequentemente todos os animais… e os Humanos. Portanto vamos ajudar as abelhas! Vocês sabem que tenho uma relação atribulada com insectos, portanto o assunto é sério. Quem quiser mais informação sobre este assunto pode consultar os artigos que refiro mais abaixo.

Como podemos ajudar as abelhas? Simples, vamos plantar flores! Assim elas terão mais chance de encontrar comida e nutrição e poderão ficar mais fortes para lidar com todas as outras ameaças a que estão sujeitas (que infelizmente são tantas, algumas ainda por compreender). Não me lembrei disto sozinha, aprendi numa TED Talk que colocarei também em baixo, mas achei genialmente simples e inspirador. Quem não gosta de um mundo mais colorido?

Parabéns pai, esta é a minha segunda prenda para ti, porque sei que te preocupas com as abelhas. 🙂 Eu também! E o netinho vai aprender estas coisas, garantidamente, e saber dar valor. Ele também gosta de mel cristalizado, portanto manda vir mais! *assobiando para o ar*

Links com conteúdo interessante:
Na ponta da língua, por Miguel Esteves Cardoso
A morte silenciosa das abelhas
Why bees are disappearing
Mel do Avô Zé


(E à custa disto lá tive eu que ir comer mais torradas com mel!)

~~~~~~~
O Lugar à Janela nas redes sociais:

FacebookInstagramPinterest * Twitter

Follow my blog with Bloglovin

7 opiniões sobre “Não é só mel”

  1. Também gostaria de experimentar esse néctar! Ficamos a aguardar locais de venda!
    Assunto importantíssimo este fenómeno do declínio do número de abelhas e as consequências dessa realidade que irá afectar a todos e a produção de alimentos no mundo.
    Depois verei todos os links com mais calma.
    Entretanto…que o mel vá adoçando essa doce espera pelo cotãozinho!

    Liked by 1 person

  2. Que bela homenagem e forma de mimar o pai! Fiquei derretida e não foi só pelo mel 🙂 e ele, decerto, muito orgulhoso 🙂
    Felizmente, desde sempre uso mel de produtores próximos de mim. Mel e água mel, que é outra delícia! Muitos dias o meu pequeno almoço são torradas com mel e azeite, também produzido aqui. Já experimentou com azeite? é muito bom! Não sei se o nosso mel é esse tipo (cristalizado), porque só com o frio é que fica assim, muito sólido. Imagino que o do pai seja uma maravilha! Nada como os produtos que conhecemos e em que confiamos.
    É verdade, a morte das abelhas é mais um dos muitos problemas ambientais do nosso planeta 😦
    Beijinhos

    Liked by 1 person

  3. Já esteve à venda mas agora não produz o suficiente, o Avô Zé anda muito atarefado e as abelhas são cada vez menos. Pode ser que um dia faça o sorteio de um frasco aqui no blogue, só pela graça 🙂

    O mini-meu continua bem aconchegado no seu canto.

    beijinhos!

    Liked by 1 person

  4. Com azeite não, nunca provei! Não sabia que se comia assim… Infelizmente aqui não há azeite de jeito, mas quando for a Portugal vou experimentar.

    Se só cristaliza com o frio não deve ser cristalizado, mas o expert Pai é que poderá explicar a ciência por detrás do mel. Não vou arriscar ser deserdada de novo 😀

    beijinhos

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s