Viagens

Aterrar em Bangkok

Vinha preparada para o pior. Bangkok é popular; metade das pessoas que conheço já visitou, a outra quer visitar. É daqueles destinos sobre o qual toda a gente parece ter uma opinião, e a maior parte delas não são positivas... Tinha ouvido muita coisa, mas de novo conferi que mais vale ver os lugares com… Continue reading Aterrar em Bangkok

Norueguices

Os portugueses e o frio

O frio, o maldito frio, a questão principal que os portugueses de Portugal abordam quando falam com os portugueses da Noruega (é isso e o bacalhau!). Uma questão interessante, que me dá sempre vontade de rir! Porque tem uma grande ironia associada, para nós portugueses no Norte... Aqui já lidei com temperaturas a rondar os… Continue reading Os portugueses e o frio

Norueguices

Descobridores… de tremoços!

Ser emigrante não é um drama, nem um feito extraordinário, mas mesmo assim tem muito que se lhe diga. O nosso dia-a-dia é animado por pequenas descobertas e batalhas peculiares. Ora, por exemplo: No outro dia fui a uma loja nova (descoberta!), uma loja não norueguesa, com mais oferta de produtos e muitos rótulos estranhos… Continue reading Descobridores… de tremoços!

Pensamentos Aleatórios

28 anos: A minha primeira ruga

Hoje de manhã, durante a minha rotina habitual de tratar da pele, observei a minha primeira ruga (na testa). É uma coisa pequenina, que apareceu durante o último ano talvez, e que me fez pensar em ... rugas. Antes de ter a minha primeira ruga, eu brincava com o assunto das rugas. Pensava "mas porque… Continue reading 28 anos: A minha primeira ruga

Pensamentos Aleatórios

Estar em Portugal é estranho

Vim visitar o país onde cresci, visitar os amigos e familiares, os que ficaram cá. São dias passados a correr de um lado para o outro, para satisfazer todos os pedidos, e a tentar ter energia para tudo. "Férias", dizem eles. Ser emigrante também é isto, até porque todos esperam que sejamos nós a visitar,… Continue reading Estar em Portugal é estranho

Pensamentos Aleatórios

A língua materna

Antes de me aventurar nisto pensei bastante em que língua queria escrever. Vivo fora do meu país e o meu cérebro tem ficado cada vez mais confuso. Convivo diariamente com pessoas de vários cantos do mundo, por trabalhar num ambiente internacional, e as línguas que mais utilizo são o norueguês e o inglês. Costumava rir-me… Continue reading A língua materna